Por que a dermatite (assadura) de fraldas é tão comum? Por que ela ocorre?

A dermatite da área da fralda, popularmente conhecida como “assadura”, é a afecção de pele mais frequente na primeira infância, constituindo fonte significativa de desconforto para a criança.

Nesse contexto, é importante que se conheçam as causas da doença, para que se possa fazer a correta prevenção e tratamento.

Por que e como essa inflamação ocorre?

– A fricção entre duas áreas de pele e o contato dela com a fralda durante os movimentos da criança pode predispor uma fragilidade local;

– O ambiente úmido torna a pele mais suscetível à fricção originada pela movimentação da fralda;

– A fralda aumenta a temperatura local, o que leva à vasodilatação e aumenta o risco de inflamação;

– As fezes das crianças contêm enzimas digestivas que, quando em contato prolongado com a superfície cutânea coberta pela fralda, causam alterações consideráveis na barreira epidérmica;

– O material da própria fralda pode deixar a pele sensível;

– A amônia liberada pelas bactérias devido a degradação da urina pode ser um fator agravante na pele lesionada;

– O uso de produtos e substâncias no local pode irritar a pele. São exemplos de irritantes químicos: sabonetes, óleos, lenços umedecidos;

– Infecção secundária: Quando a pele tem suas barreiras de defesa lesadas por qualquer mecanismo, ela fica sujeita à infecção secundária. A candida albicans contamina frequentemente crianças com dermatite (assadura) da área das fraldas com mais de três dias de evolução. O uso de antibióticos sistêmicos pode influenciar na flora bacteriana protetora do bebê e também deixar a pele mais predisposta a infecções na pele.

Como prevenir

– Manter a área genital seca;

– Tentar reduzir o tempo de contato da urina e das fezes com a pele;

– Evitar irritação o limpar o local, fazendo a higiene de maneira delicada;

– É desnecessário lavar com sabão toda vez que a criança urinar, o que ocorre numerosas vezes ao dia, pois isso pode acarretar dermatite de contato pelo sabão. A higiene da pele da área da fralda feita apenas com água morna e algodão, sem recorrer a sabonetes, é suficiente na limpeza diária da urina. Para as fezes, sabonetes brandos são recomendados. O uso de lencinhos umedecidos pode ser útil somente em situações que for sair de casa. Deve-se sempre ter em mente que eles contêm sabões e que o contato continuado com a pele pode lesar a barreira cutânea, provocando dermatite de contato. Seria adequado enxágue após o uso;

– Utilizar produtos de barreira como pomadas anti-assaduras.

Tratamento

– Sempre procure seu pediatra para que seja realizado o diagnóstico correto da causa da dermatite (assadura), para que ele possa indicar o melhor tratamento.

– Sempre que, apesar do tratamento correto, ocorrer piora de dermatites prévias, o médico deverá ser informado de maneira a pesquisar diagnósticos diferenciais, como dermatite atópica, dermatite seborréica, psoríase da área das fraldas e dermatite de contato;

– O acompanhamento das crianças com dermatite da área das fraldas deve ser regular e é necessário dar atenção especial nos períodos em que a criança apresenta diarréia ou está em uso de antibiótico sistêmico.